Início > Sem categoria > Usos do verbo grego αναβιοω

Usos do verbo grego αναβιοω

17 de outubro de 2011
Eis uma coletânea de diversas passagens de gregos pagãos que utilizaram o verbo no grego αναβιοω no sentido de “ressuscitar”, “reavivar(-se)”. Todas elas estão disponíveis no Portal Perseus para a conferência do leitor.

Platão: Hípias Maior:

II –
Sócrates
Dessa forma, por Zeus, teremos de admitir que, assim como as outras artes se aperfeiçoaram, a ponto de fazerem figura feia os artesãos antigos, em comparação com os de agora: diremos também que vossa arte articular, a dos sofistas, progrediu, e que os antigos, em confronto convosco, são principiantes em matéria de sabedoria?
Hípias

É assim mesmo como disseste.

Sócrates

E na hipótese, Hípias, de Bias retornar à vida [αναβιοίη]: faria papel ridículo ao vosso lado, como de Dédalo asseveram os escultores, que se tornaria alvo de chacotas se voltasse a fabricar espécimes como os que lhe asseguraram fama?

Aristófanes, As rãs

Nesta comédia teatral, dois personagens – Dioniso e Xântias – tentam ir para o reino dos mortos – o Hades – e resolvem contratar um defunto como um carregador para sua bagagem. Reparem só a resposta dele.

Xâtias
Não, por favor, eu imploro, mas contrate alguém de um funeral, que esteja vindo só para isso.
Dioniso
E se eu não achar ninguém?
Xântias
Então, eu a carrego.
Dioniso
É justo. E, com certeza, estão levando um defunto bem aqui. Ei, você aí! – você, o falecido, quero dizer, aceita levar esta bagagem até o Hades?
Defunto
Quanto há para levar?
Dioniso
Isto aqui.
Defunto
Vai pagar duas dracmas?
Dioniso
Por Zeus, não. Menos que isso.
Dioniso
Saiam do caminho, vocês!
Dioniso
Espere, meu bom homem, talvez possamos chegar a um acordo
Defunto
Se não deixar duas dracmas, nada feito.
Dioniso
Venha, tome nove óbolos [uma dracma tem doze óbolos]
Defunto
Prefiro voltar a viver [αναβιοιην].
Xântias
Que sujeito arrogante esse – que caia morto! Vou por minha conta.

Andócides, Sobre os Mistérios, discurso I, sç 125

A reflexão das Duas Deusas pode não ter despertado qualquer vergonha ou medo em Cálias; mas a filha de Iscômaco pensou que a morte era melhor que uma existência onde tais coisas prosseguiam perante seus olhos [a mãe era amante do marido, o rei Cálias III]. Tentou se enforcar, mas foi detida no ato. Então, quando ela se recobrou [ανεβιω], saiu do lar; a mãe afugentou a filha. Finalmente, Cálias se cansou também da mãe e a afugentou, por sua vez. Então, ela disse que estava grávida dele, mas, quando deu à luz a um filho, Cálias negou que a criança fosse sua.

Platão, A República, livro X

Sócrates — Não é a história de Alcino que te vou contar, mas a de um homem valoroso: Er, filho de Armênio, originário de Panfília. Ele morrera numa batalha; dez dias depois, quando recolhiam os cadáveres já putrefatos, o seu foi encontrado intacto. Levaram-no para casa, a fim de o enterrarem, mas, ao décimo segundo dia, quando estava estendido na pira, ressuscitou [αναβιους]. Assim que recuperou os sentidos, contou o que tinha visto no além. Quando, disse ele, a sua alma deixara o corpo, pusera-se a caminhar com muitas outras, e juntos chegaram a um lugar divino onde se viam na terra duas aberturas situadas lado a lado, e no céu, ao alto, duas outras que lhes ficavam fronteiras.

Pausânias, Descrição da Grécia, Livro 4, capítulo 19

Os lacedemônios prontamente receberam a informação dos desertores que Aristômene [rei da Messênia] retornara em segurança. Embora tenham considerado isso tão inacreditável quanto a notícia que alguém se levantara dentro os mortos [αναβιωναι], sua convicção foi reforçada pela seguinte ação da parte do próprio Aristômene: os coríntios estavam enviando uma força para ajudar os lacedemônios no cerco de Eira [reduto do messênios], sabendo de batedores que a sua disciplina de marcial era negligente e que seus acampamentos foram feitos sem precaução, Aristômene os atacou à noite.

Pausânias, Descrição da Grécia, Livro 4, capítulo 26
Um ano antes da vitória dos tebanos em Leuctra, os céus anteviram o retorno deles ao Peloponeso, para os messênios. Diz-se que em Messênia, na região dos Estreitos, o sacerdote de Héracles [Hércules] teve uma visão em um sonho: parecia que Héracles Manticlo fora convocado por Zeus como um hóspede a[o monte] Ítome [na Messênia]. Também, entre os euesperitos, Cómon sonhou que jazia com sua mãe morta, mas que, depois, ela retornou à vida novamente [αναβιωναι]. Ele teve a esperança de que, como os atenienses haviam retomado seu poderio marítimo, eles seriam devolvidos a Naupacto. Mas o sonho, na verdade, indicava a recuperação da Messênia.

Hipérides, Discursos, Contra Filípedes, sç 8

Você concluiu que uma pessoa será imortal, embora tenha sentenciado uma cidade tão antiga quanto a nossa, nunca percebendo o simples fato de que nenhum tirano já levantou dos mortos [ανεβιωσεν], ao passo que muitas cidades, apesar de completamente destruídas, voltaram outra vez ao poder. Você e seu partido não levaram em consideração a história dos Trinta [Tiranos de Atenas] ou o triunfo da cidade sobre seus agressores de fora e dentro de suas muralhas, que se juntaram em ataque contra ela. É bem sabido que todos vocês observam a sorte da cidade, aguardando a oportunidade para dizer ou fazer algo contra o povo.

Platão, Fédon
– Penso que sim, Sócrates – disse eu.
– Não, se você aceitar meu conselho.
– Então o que devo fazer? – perguntei.
– Você a cortará hoje e eu cortarei a minha[cabeleira], se nosso argumento morrer e não pudermos trazê-lo à vida de novo [αναβιωσασθαι].